Publicado dia Fevereiro 22, 2018

Madame Charme – Dicas de estilo, beleza e comportamento que aprendi em Paris, de Jennifer L. Scott foi um dos poucos livros que eu li que posso dizer que mudou a minha vida! É um dos meus livros de cabeceira, com informações valiosas para vida, sabe? Coisas simples e às vezes até bestas que deixamos de pensar e que podem nos levar a uma qualidade de vida melhor.

Jennifer narra nesse livro a sua história, a aventura que foi para a californiana fazer um intercâmbio para Paris, onde viveu com uma família super chic, com ascendência aristocrática. Adorei esse formato! O livro é dividido em 20 lições – as 20 lições que Jenni aprendeu em sua viagem – mas não é massante porque ela conta vários casos, pincelando um toque intimista que nos faz refletir junto com ela. A senhorita Scott teve o prazer de viver com a família Charme, uma família extremamente formal com vários ensinamentos valiosos que contribuíram demais para a formação da autora como pessoa (e para a minha também!), mas claro que estando na cidade luz Jennifer pôde observar os franceses de perto, o que a levou a filosofar sobre o que tinham em comum e quais eram os segredos desse povo para viver tão bem.

Madame Charme trabalhava fora, acordava cedo para preparar o café da família e ainda cuidava da casa sozinha, não via necessidade de ter uma empregada e jamais ficou sem saber o que fazer para o jantar elaborado sempre dividido em várias etapas. Estava sempre impecavelmente bem arrumada e apresentável e jamais demonstrava tristeza ou cansaço. Qual é o segredo?

Jennifer divide seu livro em três partes: Dieta e exercícios é o início de tudo, onde podemos entender como as francesas são capazes de comer tanto queijo e croissant e ainda estarem sempre magrinhas e lindas. Lições simples que não requerem nenhum sacrifício, como não beliscar fora de hora, não se privar e saber que exercícios são parte da vida, não obrigação.

A segunda parte, Estilo e Beleza é simplesmente incrível! Depois de ler isso eu tive que refletir muito sobre quem eu sou e quem quero ser, me concentrei em mim e esqueci de modismos, foi o meu momento de me encontrar e encontrar o meu estilo. Depois disso tive que arrumar o meu guarda-roupa e fiz isso com gosto pela primeira vez na vida.

A principal lição aqui fala sobre o famoso guarda-roupa de 10 peças da mulher francesa. O conceito pode parecer completamente bizarro aqui em terras tupiniquins, mas Jennifer bate tanto na tecla de que mais vale ter 10 peças que sejam perfeitas, te façam se sentir linda e se coordenem entre si do que um armário abarrotado em que poucas coisas são “a nossa cara” e nos faz ficar deprimidas de manhã, dizendo que não temos roupa. Depois de ler esse livro, fiz uma limpeza gigante no meu closet e tirei, sem dó, tudo o que não fosse absolutamente perfeito. Vocês não sabem a alegria que é abrir o armário e poder escolher qualquer coisa sabendo que você vai ficar linda! – Pretendo falar mais sobre esse conceito e sobre as mudanças do meu guarda-roupa em posts futuros, vamos voltar à resenha…

Sem título

Na terceira parte, Como viver bem, Jennifer divide várias histórias do seu intercâmbio e nos mostra como é simples chegar à felicidade com pequenas atitudes. Dizer não ao materialismo, estimular a mente, valorizar a qualidade (de tudo, viu?), ser organizada são apenas alguns exemplos. Porque só usamos aquele conjunto de louças lindo no Natal?Porque andamos em casa como mendigos? Jennifer fala também sobre a formalidade, não como algo negativo como tendemos a acreditar que seja, mas como um gesto de carinho para alguém que amamos. Porque nosso chefe merece o nosso melhor comportamento, nossos melhores trajes e nossa família, as pessoas que tanto amamos, são tratadas de maneira grosseira? A ideia aqui é dar o nosso melhor às pessoas que mais importam, isso fará com que elas e nós sejamos mais felizes.

Claro que ninguém aqui vai começar a viver como uma francesa; vivemos em um país diferente, com cultura e valores diferentes, seria impossível adotar um estilo de vida completamente francês, mas a questão não é essa. A ideia aqui é aproveitar ensinamentos simples desse povo para conquistarmos uma melhor qualidade de vida. O principal é isso, buscar a qualidade, sempre.

  • dia Fevereiro 23, 2018

    Ainda não li esse livro, mas preciso ler. O meu guarda-roupa mudou muito depois que li os livros da Marie Kondo, mas é sempre bom aprender mais.
    Bjus!

    galerafashion.com

    • Naná Gonçalves
      dia Fevereiro 23, 2018

      Nunca li nada dela, mas morro de vontade, só vejo elogios!
      Beijos

  • dia Fevereiro 23, 2018

    Que história linda e que lição. Amei seu post Nana!

    http://www.kailagarcia.com

    • Naná Gonçalves
      dia Fevereiro 23, 2018

      Que bom que gostou!



  • Top